Como se livrar dos paradigmas e aproveitar todos os seus talentos - 05 de junho de 2014

 

"Tudo que é popular é errado." Essa frase de Oscar Wilde é uma provocação importante que eu sempre levo comigo. Ela me faz lembrar que seguir o rebanho nos dá uma sensação prazerosa de segurança, pertencimento e entorpecimento. Essa sequência de estímulos satisfatórios para o nosso cérebro cria uma ilusão e um caminho perigoso para vivermos no automático, inconscientes das nossas escolhas e sujeitos a manipulação.
Uma outra forma de dizer a mesma coisa é que vivemos sob o domínio de paradigmas, crenças que não questionamos e damos com verdades absolutas. Não há como fugir dos paradigmas, pois todos nós precisamos criar um aquário para vivermos dentro. Para conseguir dar conta da experiência de viver, para manter o nosso ego coeso, nós criamos regras para interpretar e dar sentido a realidade. Ou seja, criamos um aquário com limites definidos para dar conta da realidade. A pergunta aqui é - qual o tamanho que você quer dar ao seu aquário? Oscar Wilde nos dá um dica preciosa: seguir a massa todo o tempo limita a sua possibilidade de criar um aquário maior.


Ok, o papo está muito filosófico, então vamos entender isso na prática!
No meu trabalho de Coaching me deparo muito com um paradigma que limita demais as pessoas, que as faz viver como um peixe beta naqueles aquários minúsculos. Estou falando do paradigma de trabalho e carreira. O conceito que vivemos hoje sobre carreira vem da revolução industrial, mais precisamente do filósofo Adam Smith que, em 1776 escreveu um livro chamado a "Riqueza das Nações", onde ele explica que, para termos um sistema mais produtivo e que impulsione o crescimento econômico, o melhor caminho é o da divisão do trabalho ou da especialização. Por isso, hoje você faz uma faculdade de medicina, se especializa em ortopedia, se especializa em joelho, se especializa em cirurgia de menisco e passa os próximos 30 anos operando menisco. Ou você se forma em administração, vira analista de marketing, coordenador de marketing, gerente de marketing e por aí vai. Tudo isso por que é mais produtivo para a empresa, segundo este paradigma. Mas e você? Como você fica nisso? Não seria legal ter mais escolhas caso este modelo não te sirva?


Vou apresentar aqui mais duas formas para você aumentar o tamanho do seu aquário e ter mais opções de escolha se assim desejar. Estou falando de se tornar um especialista serial ou um generalista renascentista.
Eu sou um especialista serial, ou seja, em minha carreira fui me dedicando a uma atividade de cada vez. Sou formado em engenharia e comecei a trabalhar no mercado financeiro onde me especializei em finanças. Depois mudei de rumo e fui para gestão e estratégia, trabalhando com planejamento. Tive experiências com startups e meu último salto foi para a área de recursos humanos, onde me especializei em desenvolvimento de líderes, carreira e fiz minha formação de coach. Em sequência, eu me especializei em finanças, gestão e estratégia, desenvolvimento de novos negócios e desenvolvimento de pessoas. No meu caso ter me tornado um especialista serial me fez tirar proveito de algumas características pessoais que uma carreira tradicional dificilmente permitiria: sou curioso, adoro aprender coisas novas e fico entediado com a rotina. Sem dúvida esse modelo também traz alguns desafios, alguns recrutadores ficavam impressionados mas perdidos ao ler o meu currículo. Claro! É diferente do paradigma a que estão acostumados. Por isso é importante você se apropriar da sua história para ajudar os outros a te entender.


Outro caminho bacana para seguir é o de generalista renascentista, modelo comum antes da Revolução Industrial e tendência para este nosso mundo cada vez mais complexo. Aqui a estratégia é diversificação, desenvolvendo várias carreiras simultâneas. Por exemplo, tenho um amigo que trabalha em RH e é adestrador de cães. O Eme e a Jaque seguem esse modelo, que é muito bacana, pois este paradigma está calcado nos seus talentos e paixões, e você os explora o máximo que conseguir. Na minha fase de vida atual me vejo migrando para este modelo. Com a criação do Moporã, sou um empreendedor social, blogueiro, video maker, fotógrafo, coach e facilitador, tudo ao mesmo tempo! O desafio aqui é que você deve aprender fazendo e estar bem consciente dos seus talentos.


Ambos os paradigmas tem uma vantagem importante em comparação com o modelo de alta produtividade de Adam Smith, vantagem fundamental para estes tempos de incertezas e complexidade: eles aumentam a sua resiliência, ou seja, a sua capacidade de aguentar as porradas da vida que surgem sem esperarmos. Se tudo der errado para mim, eu sei que tenho algumas boas opções para recomeçar. Além disso o efeito combinado de ter várias carreiras ou especializações te traz um diferencial importante: você tem algo único a oferecer! Você mistura os conhecimentos e experiências, enxerga os problemas por diferentes ângulos, encara os desafios com mais ferramentas e os outros acabam percebendo mais valor nas suas contribuições. Tudo isso porque você aumentou o tamanho do seu aquário!

 

                          

 

 


 

Endereço

Caes Centro
Rua São Sebastião, 516 – Santa Cruz Shopping, 2º piso–Centro
36013-260 Juiz de Fora-MG | Telefone: (32) 3215-7005

.....................................................................

Caes Zona Norte
Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 4795 - Nova Era
Cep- 36085-000 Juiz de Fora | Telefone: (32) 3223-3142